Fora de prumo F! #29. Interpretando “Contra a interpretação”

Somente as pessoas muito superficiais não julgam pelas aparências.

Interpretar, resenhar, explicar. Em vez de simplesmente apreciar experiências estéticas, somos impelidos a tentar encontrar uma razão — um sentido, um significado, uma explicação — para elas, como se não pudéssemos suportar que tais objetos simplesmente existam sem que sejam classificados ou dotados de um fundamento intelectual ou de utilidade moral. Susan Sontag, ainda que crie algumas armadilhas ao mesmo tempo em que tenta desarmar outras, nos ajuda a pensar na dicotomia forma–conteúdo em que muitos de nós ainda estamos presos e nos provoca para a possibilidade de julgar as coisas apenas pelas suas aparências.

OUÇA AQUI!
Continuar lendo Fora de prumo F! #29. Interpretando “Contra a interpretação”